terça-feira, 18 de junho de 2013

Carro de reportagem da Record é incendiado

Unidade de reportagem da Record que transmitia imagens em frente a Prefeitura de São Paulo foi incendiado por manifestantes mais radicais. Os mesmos que depredaram o prédio municipal. O veículo era um link (idêntico ao da imagem acima) e era o único de tv estacionado no local. O apresentador do Cidade Alerta, Marcelo Rezende, anunciava minutos antes que o veículo estava alí porque os manifestantes respeitavam a equipe da Record. De acordo com a repórter Fabiana Panachão, o grupo que ateou fogo ao veículo apedrejou a equipe antes do ato. “Eles chegaram com os rostos cobertos e disseram que não éramos bem-vindos, que deveríamos tirar o carro do link. Mas não deu tempo. Eles apedrejaram nossa equipe, nós tivemos que correr e eles atearam fogo no carro”, contou a jornalista, ao vivo, durante o programa “Cidade Alerta”. Nenhum dos funcionários da emissora que estavam no carro se feriu. Leia o comunicado oficial da Rede Record: A Rede Record de Televisão vem a público informar que todos os profissionais que trabalhavam na transmissão ao vivo das manifestações em São Paulo escaparam ilesos do incêndio no caminhão usado para a captação de imagens. O protesto na porta da Prefeitura de São Paulo que teve momentos de tensão com a tentativa de invasão do prédio já estava esvaziado. A grande maioria dos manifestantes já tinha deixado o local em passeata. Por isso, a Record tem a certeza de que foi atacada por uma minoria de vândalos. Antes que o carro saísse, um grupo atacou o veículo com pedras e depois colocou fogo nos equipamentos. A Record reafirma o seu compromisso de transmitir com fidelidade o protesto pacífico de milhares de pessoas nas ruas brasileiras e lamenta apenas que pequenos grupos tentem impor as suas ideias pela violência.

Nenhum comentário: