terça-feira, 25 de março de 2014

Geradoras lucram com a falta de energia

Enquanto governo e distribuidoras de energia discutem como minimizar os prejuízos da estiagem prolongada, geradoras que optaram por não renovar concessões mostram, em seus balanços, que a estratégia rendeu bons resultados em 2013. Cemig, Cesp e Copel se beneficiaram com a alta dos preços no mercado de curto prazo, que se tornou obrigatório para empresas de distribuição que ficaram descontratadas após a entrada em vigor das regras propostas pela Medida Provisória 579, que antecipou a renovação das usinas. A expectativa do mercado é que os resultados do primeiro trimestre de 2014 seja ainda melhores, beneficiados por cotações recordes desde fevereiro.Divulgados no final da semana passada, os balanços das três empresas mostram que o ganho com vendas no mercado de curto prazo mais do que duplicou no ano. 

Nenhum comentário: