BAIXOU GERAL NO POSTO DOS TAXISTAS: GASOLINA: R$ 3,91, ETANOL: R$ 2,95

BAIXOU GERAL NO POSTO DOS TAXISTAS: GASOLINA: R$ 3,91, ETANOL: R$ 2,95

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Itabuna perde vagas de trabalho em junho; Ilhéus ganha

Os dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MPE) revelam que as empresas dos setores de serviços e da construção civil foram as que mais eliminaram postos de trabalho em Itabuna em junho. Construção civil e serviços, juntos, perderam 87 vagas, das quais 45 no primeiro setor. No geral, o município do sul da Bahia ficou com saldo negativo de 55 vagas no mês passado, como mostram dados do Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados (Caged), do MPE, consultados nesta quarta-feira (19), pelo site Pimenta. Os números apontam ainda que, no primeiro semestre, Itabuna acumulou perda de 136 empregos, resultado de 4.381 contratações e 4.517 demissões. No período de janeiro a junho, o pior resultado foi registrado na indústria de transformação, que eliminou 160 vagas. A construção civil perdeu 90 postos e o comércio outros 30.
Mesmo com o resultado ruim do mês passado, o setor de serviços acumulou saldo nos seis primeiros meses do ano, com a criação de 146 vagas com carteira assinada. Quando considerado o acumulado dos últimos 12 meses, o saldo na economia de Itabuna é positivo, com 836 postos de trabalho. A economia ilheense apresentou uma pequena melhora em junho, mês em que foram criados 56 empregos formais. O setor de serviços foi responsável por praticamente totalidade das vagas abertas. Ele gerou 53 novos postos de trabalho. A agropecuária foi pelo caminho contrário, com menos sete empregos com carteira assinada. Quando avaliação se refere ao primeiro semestre, o resultado é muito ruim para a economia ilheense, que perdeu 406 postos de trabalho no período. Já os dados do primeiro semestre da economia baiana são positivos, com saldo de 6.146 vagas, resultado de 293.149 contratações e 287.003 desligamentos. Porém, em junho o saldo de empregos foi negativo, com eliminação de 1.290 vagas. A agropecuária foi, disparado, o setor que mais sofreu perdas, com saldo negativo de 870 empregos. As empresas de serviços fecharam 376 postos de trabalho e o comércio outros 308.

Nenhum comentário: