BAIXOU GERAL NO POSTO DOS TAXISTAS: GASOLINA: R$ 3,91, ETANOL: R$ 2,95

BAIXOU GERAL NO POSTO DOS TAXISTAS: GASOLINA: R$ 3,91, ETANOL: R$ 2,95

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Reconstituído Caso Thayná que morreu após cair de carro

A Polícia Civil de Ilhéus, fez na noite de quinta-feira (27), a reconstituição da morte Thayná Verena, de 16 anos, que morreu em janeiro do ano passado. A adolescente teria caído de um carro em movimento enquanto voltava de uma festa, em companhia do namorado e um amigo. O caso aconteceu no dia 17 de janeiro de 2016, na Avenida Lopes Soares. Na época do ocorrido, o namorado da vítima, Rodrigo Lawinsk, chegou a ser preso porque dirigia embriagado na noite do acidente, mas foi solto após pagar fiança. Na simulação, primeiro a polícia ouviu a versão de Rodrigo, que reforçou à polícia a versão de que a adolescente abriu a porta de trás e caiu. Logo após a queda, ele parou para prestar socorro, mas a garota não resistiu. Parentes de Thayná foram assistir à simulação acompanhados da advogada da família. O namorado e o amigo também estavam na companhia de advogados.
O pai da adolescente contou que, desde a morte da filha, a família enfrenta dificuldades para seguir em frente. "Tá todo mundo dilacerado, o irmão tendo problemas psicológicos, a mãe que tá em outro país não consegue ter tranquilidade", disse Carlos Calazans. A advogada da família, Lara Kauark, questionou à perícia pontos que, para a família, não ficaram claros durante a investigação. "Nós questionamos algumas feridas que ela não apresenta no corpo, nós questionamos a própria tese do laudo, de que não teria sido propriamente no local onde foi apontado. Divergências que nos levam a acreditar que houve sim um crime, e não uma fatalidade", descreveu. O advogado de um dos rapazes frisou o fato de que o laudo anterior já havia apontado que a morte de Thayná foi um acidente. "É de suma importância, até para tirar qualquer resquício de dúvida, que venha a ser feita realmente essa constituição, tendo em vista que já há um laudo pericial atestando que se trata de um sinistro, um acidente", disse Robson Cavalcante. O perito do caso não quis falar com a imprensa, mas afirmou que a versão dos dois rapazes é praticamente igual. Em 15 dias deve sair o laudo que será encaminhado junto com o inquérito para a Justiça, para ser finalizado. Thayná Verena, de 16 anos, voltava de uma festa com o namorado e o amigo quando teria caído do carro em movimento. O veículo era conduzido pelo parceiro, que disse em depoimento que a adolescente teria tentado sentar na janela do automóvel. Na época, a família mostrou desconfiança sobre a versão do namorado. Os familiares afirmaram que, apesar de a adolescente supostamente ter caído do carro, ela apresentava apenas um corte na cabeça, sem arranhões pelo corpo. (G1)

Nenhum comentário: