quinta-feira, 30 de julho de 2020

Brasil tem 90.383 mortes por Covid, segundo consórcio às 13hs

O Brasil chegou aos 90.383 óbitos e 2.566.765 contaminações pela Covid-19, com 195 novos óbitos e 11.247 novas infecções desde as 20h desta quarta, informa o boletim das 13h do consórcio de veículos de imprensa, formado por O Globo, Extra, G1, Folha de S.Paulo, Uol e O Estado de S. Paulo, que reúne informações das secretarias estaduais de Saúde. Desde o primeiro boletim do dia, divulgado às 8h, as secretarias de Saúde de Ceará, Goiás, Piauí, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Roraima e Distrito Federal atualizaram os dados. O balanço anterior contabilizava 90.212 mortes e 2.556.207 casos confirmados. As estatísticas da pandemia no Brasil são divulgadas três vezes ao dia pelo consórcio. Os próximos dados serão liberados às 20h desta quinta-feira. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.
A Johnson & Johnson iniciou nesta quinta-feira, nos Estados Unidos, os testes de segurança de sua vacina contra a Covid-19 em humanos, depois de divulgar detalhes de um estudo com macacos. Segundo a empresa, a candidata a vacina ofereceu proteção forte e com uma única dose. Quando expostos ao vírus, os seis animais que receberam a dose da vacina ficaram completamente protegidos de doenças pulmonares, e cinco ficaram protegidos de infecções, o que foi verificado pela presença do vírus em amostras nasais, como mostrou estudo publicado pela revista "Nature". – Isto nos faz acreditar que podemos testar uma vacina de dose única nesta epidemia e verificar se ela tem um efeito protetor em humanos – disse o doutor Paul Stoffels, principal autoridade científica da J&J, à Reuters em uma entrevista por telefone. A farmacêutica disse que iniciou testes de estágio inicial nesta quinta-feira em humanos nos EUA e na Bélgica e que testará sua candidata a vacina em mais de mil adultos saudáveis de idades entre 18 e 55 anos, além de outros de 65 anos e mais velhos.

Nenhum comentário: