segunda-feira, 19 de outubro de 2020

País conta 153.912 óbitos e 5.233.677 casos, diz CVI às 8hs

O Brasil tem 153.912 mortes por coronavírus confirmadas até as 8h desta segunda-feira (19), segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. Desde o balanço das 20h de domingo (18), 2 estados atualizaram seus dados: CE e GO. No domingo, às 20h, o balanço indicou: 153.885 mortes confirmadas desde o começo da pandemia, 195 em 24 horas. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 483. Essa volta a ser a menor marca registrada desde o dia 7 de maio. A variação foi de -27% em relação aos dados registrados em 14 dias, ou seja, apontando tendência de queda. O país completa uma semana com a curva de mortes indicando queda, após 28 dias em estabilidade. Em casos confirmados, eram 5.232.541 brasileiros que já tiveram ou têm o novo coronavírus desde o começo da pandemia, com 8.874 desses confirmados no último dia. A média móvel de novos casos foi de 19.795 por dia, uma variação de -28% em relação aos casos registrados em 14 dias. Ou seja, também encontra-se na faixa que aponta queda. Assim como ocorreu em setembro, a atual tendência de queda na média móvel de mortes ocorre numa semana com feriado (o de 12 de outubro). No mês passado, a média móvel ficou em baixa entre os dias 7 e 13. Nos finais de semana e em feriados prolongados é comum se ver queda nos registros devido às menores equipes de plantão. Os estados de Goiás, Rondônia e Minas Gerais não divulgaram novas atualizações até as 20h. As secretarias de GO e RO reportaram instabilidade no sistema oficial de notificação do Ministério da Saúde. Já em MG, a secretaria parou de divulgar boletins aos domingos. O consórcio formado por O Globo, Extra, G1, Folha de S.Paulo, Uol e O Estado de S. Paulo, reúne informações das secretarias estaduais de Saúde. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde na gestão do Ministro Eduardo Pazuello.

Nenhum comentário: