BAIXOU GERAL NO POSTO DOS TAXISTAS: GASOLINA: R$ 3,649, ETANOL: R$ 3,15

BAIXOU GERAL NO POSTO DOS TAXISTAS: GASOLINA: R$ 3,649, ETANOL: R$ 3,15

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Lula pode ser alvo de inquérito por obstrução de Justiça

Após o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sérgio Moro na última quarta-feira (10) como réu em uma ação da Lava Jato, os investigadores estudam a possibilidade de abrir inquérito por suposta obstrução de justiça. A força-tarefa da Lava-Jato analisa agora se há elementos que comprovam que Lula quis obstruir o trabalho da justiça ao longo dos três anos de investigações, com episódios de suposta destruição de provas e intimidação de testemunhas e autoridades do processo. A suspeita ganhou força após Lula confirmar ao juiz Sérgio Moro ter participado de reuniões com outros investigados na operação, como o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro e o ex-diretor de Serviços da Petrobrás Renato Duque. Os dois, por sua vez, já tinham afirmado em depoimento que Lula teria pedido para que provas do esquema de corrupção da Petrobrás fossem destruídas. É provável que as suspeitas resultem na abertura de um novo inquérito contra o ex-presidente, em Curitiba, e em mais uma denúncia, desta vez, a de obstrução à justiça. Atualmente, o petista é réu em cinco ações penais. O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, afirmou em nota que "qualquer iniciativa da Lava-Jato neste momento servirá para reforçar que Lula é vítima de perseguição política por meio de procedimentos jurídicos." Moro recusa pedido de Lula para ouvir novas testemunhas - O juiz federal Sergio Moro recusou nesta segunda-feira o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do Ministério Público Federal (MPF) para ouvir novas testemunhas no processo em que o petista depôs na semana passada, sobre o recebimento de propina da OAS na forma de um tríplex no Guarujá e do alojamento de bens que acumulou durante a Presidência. Moro também estabeleceu os prazos para que as partes interessadas – MPF, Petrobras e advogados de defesa – façam suas alegações finais na ação. Em seu despacho, publicado no sistema eletrônico da Justiça Federal nesta manhã, Moro diz serem “desnecessárias” novas diligências. “Enfim, este Juízo já ouviu muitos depoimentos sobre o apartamento tríplex e sobre a reforma dele, não sendo necessários novos a esse respeito. O que se faz necessário, sim, é valorar oportunamente os depoimentos já tomados, juntamente com as demais provas”, escreveu o juiz. (Ansa)

Nenhum comentário: